sábado, 23 de janeiro de 2010

Sempre haverá...


"Sempre haverá um alguém que eu possa alegrar.
Sempre haverá a alegria que eu queira cantar.
Sempre haverá uma paixão que eu possa viver.
Sempre haverá a vida que eu queira saber.
Sempre haverá um amigo que eu possa abraçar.
Sempre haverá o abraço que eu queira esperar.
Sempre haverá uma saudade que eu possa sentir.
Sempre haverá o sentimento que eu queira traduzir.
Sempre haverá uma criança que eu possa acariciar.
Sempre haverá a carícia que eu queira ganhar.
Sempre haverá uma flor que me possa enternecer.
Sempre haverá a ternura que eu queira ter.
Sempre haverá uma ilusão que eu possa sonhar.
Sempre haverá o sonho que eu queira realizar.
Sempre haverá uma tristeza que eu possa remir.
Sempre haverá a remissão que eu queira permitir.
Sempre haverá um carente que eu possa ajudar.
Sempre haverá a ajuda que eu queira doar.
Sempre haverá uma beleza que eu possa ver.
Sempre haverá a visão que eu queira merecer.
Sempre haverá uma sorte que eu possa jogar.
Sempre haverá o jogo que eu queira mostrar.
Sempre haverá uma dor que me possa afligir.
Sempre haverá a aflição que eu queira exprimir.
Sempre haverá uma dúvida que me possa atormentar.
Sempre haverá o tormento que eu queira cultivar.
Sempre haverá um medo que eu possa combater.
Sempre haverá o combate que eu queira vencer.
Sempre haverá uma face que eu possa beijar.
Sempre haverá o beijo que eu queira dar.
Sempre haverá uma verdade que me possa ferir.
Sempre haverá a ferida que eu queira omitir.
Sempre haverá o amor que eu queira ofertar."

Nenhum comentário: