segunda-feira, 2 de maio de 2011



Definitivamente aprendemos a cada segundo do dia que passa, da noite, cada milésimo de segundo é induzido para o momento de aprendizado de cada ser humano.
Porém, mais definitivamente ainda, não se pode aprender tudo, não se pode saber de tudo.

No tempo em que se é tudo, não és nada, decorrente de que o tempo passa, e o agora se torna passado e amanhã se torna presente, e não tão simples assim o futuro é incerto.
Animais são diferentes um do outro, plantas, microorganismos, nós.

O exemplo mais perfeito para demonstrar a imperfeição, aliás, a perfeição do incomum, do contrário, do semelhante, de mim, você, quem conhece e as outras milhares de pessoas que nem sonhas que existam por ai.
Já até pensei de onde Deus tira tantos rostos diferentes, tantos olhares doces e brilhantes, sorrisos largos, de onde vem a inspiração desse amontoado de diferente que Ele faz.
E se não bastasse isso cada um é diferente dentro de si, que coisa estranha essa de não pensarem como eu, essas verdades alheias, eu é que sei o certo, ou você?
Já me disseram que não sou normal por acreditar nas minhas verdades, mas se fosse assim no mundo haveria uma massa de gente anormal e acho que nem caberia tanta gente assim no hospício.
É incômodo ver alguém tão diferente de você, mas é bonito. Realmente parar e pensar porque eu grito e ele se cala, porque eu danço e ele se senta, porque comem manga e não suporto o cheiro, porque quando eu tenho paciência o outro explode, e quando eu jogo as cartas na mesa o outro chora?
Talvez seja confuso demais querer saber os porques dessa coisa toda de diferenças. Personalidade, cultura e aquilo que eu e outro adquiriu durante sua vida.
Mas há algo em comum, há a palavra, seja ela dita com o som da voz, escrita, por gesto, olhares. A palavra tem o dom de unificar sentimentos, tornar a nuvem mais densa ou mais pesada, chuva e sol.
Cada discórdia termina com a palavra, ou começa, cada compreensão, cada amizade, cada um tem o poder de produzir calmaria ou tempestade.
É esse o bonito da história toda, é pela palavra que eu estou aqui tentando juntar sentimentos confusos, algumas coisas complicadas de colocar no papel, pra tentar dizer enfim que a palavra é essencial.
É preciso alguém se colocando na frente de um tanque de guerra, é preciso alguém escrevendo livros que podem mudar pessoas, é preciso alguém abaixando a cabeça quando está furioso, alguém para fazer rir, milhares para gritarem de raiva quando assistem o jornal na tv. Foi preciso Ele se crucificar para salvar a Terra.
É preciso que eu, você, ele escreva, ou fale, ou tenha atitudes que tornem o metro quadrado em que se está melhor a cada dia, o km, a cidade, o país, o mundo.
Porque se eu, você, ele, ela, nós fizermos do dom a palavra que temos um instrumento, será mais bonito de eu, você, ele e ela estarmos juntos no mesmo metro quadrado sem que isso se torne insuportável. Essa ou aquela pessoa não é um peso em sua vida por não ser como você, por discordar de você, é só a pessoa que te ajudará a ser mais paciente, calmo, sorridente.
Você não precisa de um grupo de almas afins e iguais a você, você precisa de almas que te tragam aprendizado. Você está aqui para testar o quanto você pode se doar para o outro, o quanto você pode tirar de você para ser do outro.
Viva em função do outro, que no final das contas você fez bem para você mesmo.


- Rafaela Alves.

Nenhum comentário: